12/11/2020

12 ANOS #CIRCUS BRITNEY SPEARS


Nesse mês de novembro, 12 anos atrás, Britney Spears lançava Circus, seu sexto álbum, que venderia pouco mais de 5 milhões de cópias. Katy Perry nem sonhava em "copiar" a identidade visual circense. E foi bem logo após o escândalo de raspar o cabelo, as turbulências de sua vida pessoal, a luta pela guarda dos filhos, internação compulsória com todos os paparazzi a tiracolo e a partir daqui, Britney nunca mais seria livre.


 


Em pleno 2020, o movimento FREE BRITNEY está a todo vapor, assim como as audiências no Tribunal para desvincular sua interdição ao pai. Também foi anunciado o lançamento de uma música inédita, Swimming in the stars, descarte do Glory

Sobre o Circus, vamos de #tbt!

Foto: Divulgação


Todo mundo dizendo que essa é a sua a grande volta. A reviravolta e tal. Britney 2008 - the survival. Mas desde quando ela deixou de vir? Sempre na ativa, seja nas perucas rosas baratas, no surpreendente Blackout ou mostrando "coisas" por aí. E o novo Circus? Sim, já vazou e alguém duvida que tenha sido a própria gravadora? Ha! 

O circo de Britinéia Espirro é um bom disco pop. Não é seu melhor trabalho, mas sinto cheiro de hit atrás de hit. Está para nascer alguém com o carisma e a estrela que essa garota possui. E eu adoro Miss Espirro, desde o maravilho Baby more time. Não à toa eu mesmo cantei essa música em vários shows e até a gravei em estúdio. 

Foto: Divulgação


Vamos falar um pouco do novo trabalho. Britney solta um punhado de músicas no estilo Pussycat Dolls que ajudou a formar, mas se sai melhor quando busca um caminho diferente em músicas geniais como Lace and leather ou Rock boy (essa um bônus track). Aliás, até agora não consigo acreditar que Brit seja toda obra de produtor. Se for mesmo, parabéns aos envolvidos.


 


De resto, mais do mesmo que só a marca Britney Spears sabe enlouquecer as bitches da vida - garotas e yags elétricas say hi! Algumas são bem cansativas (Unsual you, If you seek Amy AAAAAAH o trocadilho), outras são super super super (Womanizer, Kill the lights, Blur), o resto fez a lição de casa direitinho. 

Sobrou fórmula certa, faltou ousadia. E fico feliz que as baladas tenham voltado ao set list - Out from under é a melhor. Que venha a turnê, bons vídeos e a tal retomada que tanto se especula. 

No playback, yes full play.

Publicado originalmente em novembro de 2008.


Nenhum comentário:

Postar um comentário