20/07/2020

SOBRE O DOC. DE SANDY E JR


2019 foi o ano que redefiniu o que é ser um fenômeno pop no Brasil. E talvez nem Sandy e tampouco Junior contavam com tamanha comoção, dor e sofrimento (no caso para comprar os concorridos ingressos) na turnê que parou o país. Números e mais números bateram recordes e tudo isso, desde a origem da dupla infantil até o último show dessa tour, é contada nos mínimos detalhes da série documental lançada exclusivamente pela Globoplay. E além do documentário, tem show ao vivo (já disponível na rede de streaming), DVD, vinil e cd a serem lançados.




São imagens exclusivas, algumas históricas, que valem muito como registro cultural. Não há grandes novidades ou surpresas ao longo dos sete episódios, onde tudo é narrado, capítulo por capítulo, por eles próprios, pais, amigos e convidados - sendo o fofoqueiro Hugo Gloss o mais vazio e descartável de todos. Zero surpresas.

O capítulo mais legal é justamente aquele que mapeia a carreira solo de cada um. O Junior é a experimentação em pessoa e acredito que até hoje, não sabe direito quem seja como artista e fica evidente que a irmã é seu complemento -  ele é o grande destaque e coração dos shows Nossa História. Os dois juntos são uma força da natureza, coisa que não se explica, o elo sanguíneo nem é o mais importante quando há essa química monstruosa entre eles. E isso emociona, muito além da nostalgia.

Foto: Instagram

Há momentos já icônicos, como a dupla que faz cover no Brasil. Assista, reflita e opine se quiser. Eu amo e não vou mentir. Acho até que pirei. Também é inacreditável que Sandy estava super doente no dia da gravação do DVD. A carreira internacional, considerado como o único flop, também tem sua verdade creditada.  

Esse projeto, além de capitalizar mais ainda em cima do comeback mega milionário (estima-se que cada um embolsou algo em torno de R$17 milhões), é um presentão para os fãs, além de um guia para fanáticos da cultura pop. Agrada quem não é súdito dos irmãos também. Mas os fãs estão se debulhando em lágrimas. A histeria é real.

Foto: Instagram Reprodução


Sandy e Junior: A História só peca no medo de aprofundar-se em alguns dramas pessoais, o que é natural quando o biografado mantém controle total no que é dito ou não. Mesmo com alguns momentos vulneráveis, Xororó sendo um dos grandes destaques, faltou coragem. Também fica muito preso no formato reportagem especial do Fantástico, não tendo lá muito identidade como gênero documentário.  

Mas tudo bem. Relevemos. Junior nunca esteve tão pleno e lindo, Sandy, tão segura de si e a gente feliz à beça com mais um mimo para guardar nesse turu turu do nosso peito.


CONFIRA TAMBÉM 

Um comentário:

  1. Eu daria uma nota 9, chorei todos os episódios. O Junior tá uma delícia mesmo.

    ResponderExcluir