14/02/2020

QUANDO JUSTIN BIEBER ENCONTRA JESUS E UMA BALDWIN


Justin Bieber é uma pessoa melhor, segundo o próprio. Lidando com problemas de saúde, ele encontrou amor e Jesus. Seu novo álbum, Changes, é sobre isso. As pessoas mudam, as circunstâncias mudam mas Deus continua o mesmo, ele canta mas é mentira, o tema não é religião. 

Fotos: Reprodução Instagram

O disco é uma longa declaração de amor para sua esposa, Hailey Bieber Baldwin. The Baldwin rocks! Deus é mencionado, vez ou outra mas a Salvação está associada à figura de sua amada. E por 16 faixas, as fãs podem se encontrar aliviadas ou enciumadas, dependendo do ponto de vista e auto estima de cada uma delas. Fama e fortuna, obviamente não fizeram nada de bom para o pequeno Justin Youtuber Baby

E Justin canta como é incrível transar com ela, passar tempo com ela, ter mudado a vida com (e por) ela. Como ele se tornou uma pessoa mais paciente por causa de seus ensinamentos e como ele sente saudades até quando ela está por perto e como ele odeia ficar sozinho e que ele jamais vai trair ela. Eu e ela, ela e eu PARA SEMPRE and ever and ever and ever. Meio obcecado não? Mas os pombinhos, de fato, parecem bem felizes e o canadense parece ter deixado a época de cuspir nas fãs para trás. E ele soa sincero.





Sua voz continua doce, delicada, descendo aveludada e suave dos ouvidos direto para nossos poros mas principalmente os de Hailey. A sonoridade dá uma despida das grandes produções de outrora e mira no RB minimalista, com batidas estilizadas e sussurradas. Há bons momentos e não chega a incomodar, com exceção da cínica Yummy que segue indigesta. 

Mas Changes é pouco. Sua celebração de mudanças é mais interessante para quem está inserido nelas. Para nós, é só um disco fácil de curtir, espécie de música funcional, aquela de fundo em volume moderado, ideal para reuniões com amigos, queijos e vinhos. 

Você gosta mas não ama. Processa mas não marca. Ouve mas não cantarola. O repeat jamais é acionado. Também não serve para dançar. Não tem impulso, sequer desejo. Talvez Justin queira menos. E vida que segue.


OUÇA CHANGES!

Um comentário: