03/12/2019

SOBRE BACURAU


Sabe aqueles filmes que jorram na sua cara algo potente, tal como um soco de realidade e ao mesmo tempo de resistência? Isso é Bacurau, o filme brasileiro sensação de 2019 que fez estrago nas bilheterias. E todo hype é verdadeiro, recíproco e merecido. Um poema bruto que não esconde suas observações.  Finalmente foi lançando on demand para quem ainda não viu.

Presenciamos um faroeste de horror com muito orgulho de suas origens nordestinas, os cangaceiros, os guerreiros, os sobreviventes. De uma comunidade à deriva, sem água e com muita união vemos a ameaça do homem branco, uma observação clara à nossa atualidade repleta de psicopatas que brandam uma Supremacia Branca inexistente. "Vocês não são brancos" - diz um deles para brasileiros aliados de pele clara.


E aí acompanhamos a jornada de uma cidade que "sumiu" do mapa em defesa de sua própria existência por motivos que não valem ser revelados, para não estregar todo o deleite que é testemunhar tal história. A sensação de "nada será como antes' é constante, pelo menos por um bom tempo, na duração de um filme cheio de personalidade, de arte e de vida.

Para assistir atento. 


SOBRE O PÁSSARO BACURAU
Curiango, curiango-comum, ju-jau, caribamba, amanhã-eu-vou, ibijau, mede-léguas, acurana e a-ku-kú. Todas essas são denominações usadas para se referir ao bacurau. Trata-se de um pássaro com hábitos noturnos e que ocorre do sul do México até o norte da Argentina. No Brasil, essa ave é muito vista na região do cerrado. O bacurau tem na noite a sua principal rotina. Essa espécie costuma viver no chão, onde facilmente se camufla em meio às folhagens. Durante o dia, o pássaro é avistado apenas quando se espanta e, só assim, voa a curtas distâncias para fugir do susto. PORTAL DOS ANIMAIS.

Nenhum comentário:

Postar um comentário