27/11/2019

SOBRE KLAUS, A ANIMAÇÃO DE NATAL DA NETFLIX


Escreva uma cartinha pro Papai Noel pedindo um presente, se você for uma boa pessoa, o velhinho voará de trenó com as rena tudo, entregando seu mimo na véspera de Natal. Mas de onde surgiu essa ideia de mandar cartas para o bom e barbudo velhinho? Klaus, animação da Netflix tentar explicar isso e o resultado é brilhante.

Filmes sobre o Natal costumam ser bem chatos, piegas e tontos. Mas Klaus é nada disso. O filme é sensacional e tornou-se já um clássico moderno do gênero. É de fato, encantador, de todas as formas possíveis. O roteiro é engenhoso e agrada, na mesma medida, crianças e adultos. Não sei mas algo me diz que os adultos vão curtir mais.

Foto: Divulgação Netflix

Ele tem um começo sombrio com traços de Tim Burton. a cidade no meio do nada na Finlândia é trevosa, onde duas comunidades vivem em pé de guerra, desde que o mundo é mundo. Atente-se a menina com a cenoura na mão. 

O filho do dono dos Correios é enviado pra lá, como forma de castigo, para gerenciar a Agência do local, tal ato é para ver se o menino vira homem com responsabilidades. Jesper só pode voltar para os mimos de menino rico depois que atingir uma cota altíssima de postagens. Mas o povo de lá não tem qualquer interesse em enviar cartas. No meio da neve, o isolamento é real. Até que o carteiro dá um jeitinho quando conhece um homem solitário cheia de brinquedos no seu casarão. Tudo muda, à partir de então.


Dirigido e escrito por Sergio Pablos, coautor de Meu Malvado Favorito, Klaus é um dos melhores desenhos do ano e já entra no hall de filmes natalinos de muita gente. É lindo, criativo, esperto e aproximador. Se você não sentir um aquecer no seu coração, o problema não está no filme, está em você. A menininha Sami é acoisa mais linda desse mundo.

Um comentário: